quarta-feira, 4 de maio de 2016

Festival Literário de Ilhéus estimula a leitura e discussões sobre o cenário cultural

Durante três dias, o centro histórico de Ilhéus foi tomado por literatura, poesia, música e atividades lúdicas voltadas a estudantes, fazedores de cultura e a comunidade em geral, no período do Festival Literário de Ilhéus (Flios), realizado entre os últimos dias 28 e 30 de abril. Organizado pela Academia de Letras de Ilhéus (ALI), o evento contou com apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Turismo e Esporte (Setur), Fundação Pedro Calmon, Etesi e Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc).

As atividades foram realizadas na sede da ALI (Rua Antônio Lavigne de Lemos, centro), na Biblioteca Municipal Adonias Filho e na Praça Castro Alves. Nos três dias, foram desenvolvidas oficinas de poesia visual, mesas literárias, saraus e apresentações musicais, com toda programação aberta ao público. De acordo com o professor André Rosa, organizador do Flios, a iniciativa alcançou seu objetivo, “ao reunir literatura, música, ativismo cultural e discussões acerca do fomento e das políticas ligadas à área cultural”.

As discussões sobre políticas públicas de cultura foram feitas por figuras de destaque no cenário baiano, a exemplo do secretário de Estado de Cultura, Jorge Portugal, o ex-secretário Márcio Meireles, os escritores Jorge Araújo, Nelson Maca e Daniela Galdino, e o presidente da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo. Nas mesas, foram abordadas a literatura negra na Bahia, o cordel no sul da Bahia e a relação entre música e escrita.

Para o secretário de Turismo do Município, Josenaldo Cerqueira, o festival tende a entrar para o calendário municipal de eventos por diversos motivos, entre eles, “por atrair grande público, por fomentar discussões acerca do fazer cultural, da leitura e, sem dúvidas, por Ilhéus estar no centro do cenário das obras de autores como Jorge Amado, Sosígenes Costa e Jorge Araújo”.

Participação – Durante os três dias, estudantes dos colégios Fênix, São Jorge, Municipal Heitor Dias e Ceep-Malhado participaram de oficinas na Academia de Letras. As atividades, comandadas pela comunicóloga Rava Midlej, se basearam nas experiências dos próprios jovens para criar poesias através da música e de instrumentos imagéticos.

Saraus – As noites do Festival Literário de Ilhéus foram marcadas por apresentações musicais e saraus na Praça Castro Alves, na Avenida Soares Lopes, uma das mais movimentadas da cidade. No palco montado, se apresentaram artistas locais, a exemplo da discotecagem com Qila e Múcio, Diego Schaun, Helton Moreira, bandas Manzuá, Crime Organizado, Poesia na Favela, entre outros.
Marcadores: .

0 comentários:

Postar um comentário